Cultura

A Coca-Cola quer tornar a Internet um lugar feliz (boa sorte com isso)

Tecnicamente Incorreto oferece uma visão ligeiramente distorcida da tecnologia que tomou conta de nossas vidas.


 coke56.jpg

Uma coisa é ensinar o mundo a cantar, outra bem diferente é ensiná-lo a ser legal na Internet.

Este, no entanto, é o desafio que a Coca-Cola estabeleceu para o fim de semana do Super Bowl.

Sim, vai patrocinar a ideia de todos postarem poemas de amor em vez dos habituais haicais de ódio. Vai encorajar os democratas a elogiar o Senado republicano. Vai apresentar uma tempestade de tweets de Ted Cruz elogiando o Obamacare.



Eu sinto muito. Eu estava me banhando em forte positividade por um momento. Isso porque eu li uma cotação oferecida à Ad Age pela diretora de conteúdo de marketing integrado da Coca-Cola, Jennifer Healan.

Ela disse: 'Nosso objetivo é inspirar a América a se tornar uma força coletiva para a positividade'.

window.CnetFunctions.logWithLabel('%c One Trust ', 'IFrame carregado: iframe_shortcode com classe optanon-category-C0004');

Oh, Jennifer você esteve no Congresso ultimamente? Você já viu os gráficos de desigualdade? Você viu como os nova-iorquinos eram negativos sobre um pouco de neve?

Claramente, Healan e seus companheiros de Coca-Cola não se intimidam. Eles já lançaram um teaser para seu grande evento.

Claro que inclui a hashtag #makeithappy. Você precisava perguntar? Também promete 'A Internet pode nunca mais ser a mesma'.

Durante o Super Bowl, haverá um anúncio mais longo. A empresa também lançará algumas 'vinhetas' exclusivas da Web com aqueles que realmente sofreram na Web, como o primeiro jogador abertamente gay da NFL, Michael Sam, e a piloto de corridas Danica Patrick.

O vice-presidente e gerente geral da Coca-Cola Trademark Brands, Andy McMillin, explicou à Ad Age: 'A marca está no seu melhor quando expressa um ponto de vista que reforça seus valores e representa os tempos culturais e as comunidades em que nossa marca vive'.

Mais tecnicamente incorreto

  • Katie Couric e Bryant Gumbel ainda não sabem nada sobre tecnologia
  • Bill Nye diz que Belichick está cheio de ar quente (outros cientistas discordam)
  • Adolescente é preso após supostas ameaças com emojis no Facebook

Alguns podem se perguntar se nossos tempos culturais são mais divisivos do que unificados e mais amedrontados do que borbulhantes. Eles também podem considerar se é possível ser implacavelmente positivo e constantemente espionado.

Ainda assim, as intenções da Coca-Cola são, sem dúvida, nobres. Todo mundo sabe que a Internet é uma verdadeira fossa de tolos corajosos.

Então não posso terminar com uma nota negativa, posso?

Vamos pensar nesses nossos tempos culturais. As pessoas estão se voltando contra o consumo pesado de refrigerantes e açucarados, não? Isso é positivo, não é?