Ciência

Rara borboleta travesti encontrada

 lexias-pardalis.jpg

Existem 3,5 milhões de espécimes na Universidade de Drexel Academia de Ciências Naturais coleção de entimologia, e alguns meses atrás, um voluntário avistou uma borboleta que é realmente uma em um milhão.

A borboleta, conhecida como Lexias pardalis, tinha metade do corpo coberto de marcações típicas do macho de sua espécie e metade coberto de marcações femininas. 'Pensei: 'Alguém está brincando comigo. É perfeito demais'', disse Chris Johnson, o voluntário que fez a descoberta enquanto trabalhava no projeto da Academia. Borboletas! Exibir. 'Então eu tenho arrepios.'

'Ele se abriu lentamente e as asas eram tão dramaticamente diferentes que ficou imediatamente aparente o que era', acrescentou, de acordo com uma afirmação sobre a descoberta divulgada terça-feira por Drexel.

Histórias relacionadas

  • A digitalização 3D mostra a metamorfose de uma borboleta
  • Borboletas robóticas feitas de telefones reciclados são um pouco assustadoras
  • Saqueando as fábricas de fungos de formigas para novas drogas

O que Johnson havia encontrado enquanto limpava a câmara de pupas da exposição – o lugar onde as borboletas irrompiam de suas crisálidas – era uma Lexias pardalis com uma condição rara conhecida como ginandromorfia bilateral.



'Ginandromorfismo é mais frequentemente observado em espécies de pássaros e borboletas, onde os dois sexos têm coloração muito diferente', disse Jason Weintraub , gerente de coleção de entomologia da Academia. “Pode resultar da não disjunção dos cromossomos sexuais, um erro que às vezes ocorre durante a divisão dos cromossomos em um estágio muito inicial de desenvolvimento”.

A borboleta rara chegou à Academia de uma fazenda sustentável de borboletas na ilha de Penang, na Malásia. Seu lado direito exibe a coloração típica das fêmeas - marrom com manchas amarelas e brancas. Seu lado esquerdo mostra as marcas masculinas - asas iridescentes pretas e azuis esverdeadas.

A borboleta, que tem a vida útil curta comum a todos de sua espécie, foi preservada e fixada e estará em exibição para os visitantes da Academia de 17 de janeiro a 16 de fevereiro.